Pesquise Aqui!

9 de dez de 2010

Presos de Ipaba produzem 200 brinquedos para Natal


Lairto Martins 

As crianças carentes ganharão brinquedos feitos na marcenaria da unidade prisional, onde até um super barco de madeira já foi produzido
IPABA – A Subsecretaria de Administração Prisional (Suapi) da Secretaria de Estado de Defesa Social adotou mil cartinhas do projeto Papai Noel dos Correios. Todas as pessoas – do subsecretário aos detentos – se mobilizaram para garantir o sorriso de crianças ou adultos carentes. Na Penitenciária Dênio Moreira de Carvalho (PDMC), em Ipaba, vinte presos que trabalham na marcenaria produzirão, até o dia 14 de dezembro, cerca de 200 brinquedos de madeira, entre casinhas de bonecas, carrinhos e brinquedos pedagógicos. “É muito gratificante a Suapi participar deste projeto. Todo mundo vibra com ele”, diz o diretor da unidade, Adão dos Anjos. 


O diretor da PDMC conta que há nove anos a penitenciária arrecada brinquedos junto à comunidade para presentear os filhos dos detentos no Natal e no Dia das Crianças. Há também doações de cestas básicas, que são repassadas às famílias dos presos que residem em Ipaba.

Detentos de várias unidades prisionais de Minas Gerais se engajaram na idéia. Eles irão fabricar bolas, agasalhos, brinquedos de madeira e bicicletas para presentear os inúmeros autores das cartas que solicitaram algum dos itens produzidos. No próximo dia 16, os presentes construídos pelos detentos serão recolhidos pelos Correios, junto com aqueles comprados por funcionários da Suapi que se tornaram padrinhos de uma das crianças ao escolher algum dos pedidos endereçados ao Papai Noel.

A idéia de aderir ao projeto dos Correios surgiu no ano passado. Na ocasião, foram adotadas 300 cartas. Para o subsecretário de Administração Prisional, Genilson Zeferino, a iniciativa é fruto do constante trabalho de humanização do sistema prisional. “A população tende a ter preconceito, enxergam os presos como pessoas que não têm sentimento, que querem o mal da sociedade, como se essa percepção justificasse o esquecimento. Com essa ação os presos mostram que, embora esquecidos, eles querem um contato com o mundo”, afirma. 

O depoimento de um preso do Complexo Penitenciário Nelson Hungria, em Contagem, segundo o subsecretário, comprova o desejo que eles têm de participar da vida em sociedade. “O detento disse que o mês de dezembro sempre mexe com ele. Há oito anos preso, ele conta que no Natal sempre se lembra da infância. E que essa será a primeira vez que poderá doar um presente que ele mesmo fez”, conta Zeferino.  
Outras unidades 
No Complexo Penitenciário Nelson Hungria e em outras três unidades prisionais do Estado, os detentos estão envolvidos na produção de bolas para serem dadas de presente às crianças. No Presídio Floramar, em Divinópolis, onde há um setor de confecção, serão feitos agasalhos. Nos presídios de Curvelo e Araxá, os presos estão reformando bicicletas que também vão ser repassadas às crianças que escreveram cartas para o Papai Noel. 

Além das iniciativas próprias de cada estabelecimento, nas unidades prisionais mineiras haverá, no fim de semana do Natal, um almoço especial para os presos e suas famílias. “É para amenizar, nesse período, este mundo tão duro e torná-lo mais humano. Nesse dia, em vez de troca de presentes, há troca de carinho”, conclui o subsecretário da Suapi.

Voz do Povo

Compartilhe

Vídeos Ipaba

Loading...