Pesquise Aqui!

18 de set de 2010

Cerimônia Coletiva


IPABA – Por uma iniciativa que envolveu a Defensoria Pública do Estado de Minas Gerais e a administração municipal, foi realizado no final de semana um casamento coletivo em Ipaba. A cerimônia foi possível por meio do projeto “Felizes para sempre”, de iniciativa da Defensoria.
O advogado Denner Franco Reis, que acompanhou o projeto desde o começo, comemorou o resultado obtido no sábado (18): “Todo o evento foi marcado por muita festa e comemorações, com direito a almoço de casamento, bolo, alianças, tudo sem qualquer custo para os nubentes”, esclareceu.
Em sua fala, o prefeito Geraldo dos Reis Neves destacou a família como a sustentação da sociedade: “Mais do que palavras e juras de amor, o que fará a diferença em cada união é a atitude e o tratamento respeitoso”.
A realização inédita em Ipaba garantiu a oficialização de 19 enlaces. O casamento coletivo ocorreu na quadra da Escola Estadual Gerson Gomes de Almeida.
Denner Franco ressaltou aos casais a importância social do evento, pela sua finalidade de conferir certeza, segurança jurídica e estabilidade nas relações sociais. O encerramento da cerimônia foi marcado por um “sim” coletivo.

Área de ocupação irregular gera impasse em Ipaba


IPABA – Os moradores da área de ocupação irregular conhecida como ‘Lagoinha’, na região central de Ipaba, vivem - há anos - um impasse com a Administração Municipal. Uma lagoa que existia no local secou há aproximadamente 25 anos. Desde então, o lugar passou a ser destino para diversas pessoas, que através de ocupações irregulares, fixavam residência naquela localidade. Acontece que a região da ‘Lagoinha’ pertence a uma área de preservação ambiental. A prefeitura tenta retirar esses moradores do local e evitar novas ocupações, enquanto que as pessoas que lá vivem cobram melhores condições de vida.
Os problemas detectados na ‘Lagoinha’ são vários. Os moradores apontaram a falta de uma rede de esgoto como sendo o principal deles. Hoje, o esgoto das casas, que foi feito artesanalmente, cai numa vala que fica à margem de uma passagem utilizada como atalho. Esse esgoto desemboca no Rio Doce.

Os dejetos lançados, além de não receberem qualquer tipo de tratamento, ficam expostos a céu aberto. Essa situação faz com que as pessoas sofram com o mau cheiro e fiquem sujeitas ao contágio por doenças causadas pela água contaminada.

A doméstica Marlene Pires, que mora na região há cerca de 20 anos, disse que a população sofre mais ainda no período de chuvas. “A situação aqui fica ainda mais complicada quando chove. O esgoto transborda e fica tudo inundado com essa água suja. Fica um cheiro insuportável, mas nossa maior preocupação é com a nossa saúde”, falou.

De acordo com a doméstica, a questão relacionada ao esgoto já dura cerca de 15 anos. Ela disse que as obras foram iniciadas com a promessa de que seria construída uma manilha para o escoamento do esgoto. Contudo, somente a vala foi aberta e o manilhamento não aconteceu.

Segundo Marlene, os moradores da ‘Lagoinha’ entraram em contato com a prefeitura, que teria se comprometido a solucionar o problema em fevereiro, mas que até agora nada ainda tinha sido feito nesse sentido.

Abandono total
As pessoas domiciliadas na ‘Lagoinha’ vivem numa condição de completo abandono. Além da questão relacionada ao esgoto, observam-se ainda no local inúmeras outras carências. Não existe iluminação pública, falta pavimentação e o serviço de limpeza urbana não atende a região. Em vários pontos concentram-se montes de entulho e o matagal está tomando conta do lugar.

Mas o fator mais atenuante é que as casas não possuem ligações de água. “A gente tem que contar com a boa vontade dos moradores de outras ruas para conseguir água, senão nem para beber tínhamos”, contou à reportagem do Jornal VALE DO AÇO o encanador Anselmo Rodrigues da Costa.

Ele foi um dos moradores que teve sua obra embargada pela Administração Municipal. O encanador disse que começou a construir em 2007, mas a prefeitura está desde então impedindo que ele termine a obra. “Posso até voltar a construir, mas é complicado. O fiscal vem e pede que eu pare novamente as obras. Estou acatando para evitar ter um prejuízo ainda maior”, disse.

Providências
O Chefe de Gabinete da prefeitura, Marcos Prata, disse que a recuperação ambiental da ‘Lagoinha’ e o reassentamento das famílias estão entre as prioridades da atual gestão. Ele disse que o projeto já foi protocolado e será incluído nas indicações municipais para os repasses federais do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

Os principais objetivos são remover os imóveis já instalados na região, recuperar as áreas ambientais degradadas e construir uma Estação de Tratamento de Esgoto.

O diretor do Departamento Municipal de Meio Ambiente, Onéias Guerra, disse que a intenção da prefeitura é desocupar toda a área, redirecionando as famílias que atualmente vivem na região para outros lugares.
Segundo ele, existe ainda um problema com a Cemig, uma vez que a concessionária de energia tem realizado as ligações sem a autorização da Administração Municipal, e que vai recorrer dos mecanismos legais para conter essa situação.

17 de set de 2010

Polícia Civil afirma ter prendido o maior traficante de Ipaba

IPABA – Apontado pela Polícia Civil como o maior traficante de drogas de Ipaba, o comerciante Warlei Gonçalves do Amaral, de 23 anos, foi preso na manhã desta sexta-feira (17). Ele foi detido em casa, na Rua Pouso Alegre, no Bairro Nossa Senhora das Graças, onde também mantinha um bar. De acordo com o delegado Ricardo Cesari, Warlei vigiava a chegada da polícia em seu estabelecimento das mais diversas formas. Ele utilizava binóculos e tinha até câmeras de segurança.
   
A PC encontrou sete pedras de crack, 21 buchas de maconha e um tablete maior da erva com o comerciante, além de uma pequena quantidade de dinheiro. Na manhã desta sexta, cumprindo mandados de busca e apreensão, os policiais estiveram na casa dele e em outros dois endereços. “As investigações começaram em março, quando resolvemos intensificar o combate ao tráfico aqui em Ipaba. Nós identificamos o Warlei Amaral como o principal traficante aqui da região, sempre movimentando grandes quantidades de drogas. Descobrimos o local onde ele traficava, que é um bar anexo à sua casa, de sua propriedade. Um bar muito bem equipado, com câmeras de segurança e tudo para detectar a chegada de policiais”, revelou Cesari, que é responsável pela Polícia Civil em Ipaba e também em Mesquita.
Conforme o delegado, o comerciante deverá ainda ser investigado por crime de receptação. “Localizamos na casa do Warlei Amaral diversos munições e facas de guerrilha. Encontramos também binóculos potentes, pois ele mora no alto do morro, então conseguia acompanhar perfeitamente a chegada de policiais. Ainda recolhemos na residência diversos produtos suspeitos de serem receptados por ele, ou seja, o usuário pratica pequenos furtos e troca por drogas. Apreendemos aparelhos celulares, relógios, jóias e uma máquina digital”, explicou. Munidas de documentos que comprovem a propriedade, pessoas que foram vítimas de furto ou roubo em Ipaba podem ir até a delegacia local para tentar uma restituição.
Principal traficante
Segundo Ricardo Cesari, policiais civis estiveram no bar e na casa de Warlei em outras ocasiões, mas nada de ilícito chegou a ser localizado. “A sociedade ipabense clamava por providências da Polícia Civil e da Polícia Militar em relação à postura desse traficante. Eu até fiquei surpreso, pois achei que a operação desta sexta ia ser mais bem sucedida. Não no sentido da prisão, mas no que diz respeito a uma apreensão maior de drogas. Mas fico satisfeito em consegui-lo prendê-lo. A comunidade de Ipaba vai ficar livre um bom tempo de seu principal traficante”, comemorou o delegado.

Cesari falou mais sobre as artimanhas que o comerciante usava para tentar ludibriar a polícia. “Realizamos diversas operações na casa dele e nunca conseguíamos localizar nada, porque realmente a logística e a estrutura de Warlei eram bem organizadas. Ele conta com diversos colaboradores, inclusive olheiros do morro que soltavam fogos quando a polícia chegava. Há também outras residências de comparsas que guardam drogas para ele”, concluiu o policial civil.
Além de maconha e crack, os policiais ainda recolheram munições e celulares.
Warlei também conversou com o jornal VALE DO AÇO. “A droga não é minha. Acharam no terreiro da minha casa. Eu não sei dizer quem colocou lá”, disse. Questionado sobre as acusações de que seria o maior traficante de Ipaba, ele não titubeou: “Isso é conversa dos outros. Sou comerciante. A droga não me pertence. Os aparelhos celulares que pegaram são meus e dinheiro é do bar”.
Warlei completará 24 anos nesta terça-feira (21) no Centro de Remanejamento de Presos (Ceresp) de Ipatinga. Ele foi encaminhado à carceragem depois prestar depoimento na Delegacia de Polícia Civil de Ipaba.
 Fonte: JVA Online

15 de set de 2010

Plenária reúne centenas de moradores


A deputada estadual Rosângela Reis participou neste sábado (14) de uma plenária em Ipaba, que reuniu centenas de moradores, apoiadores e lideranças. O evento, que serviu para discutir a situação do município, contou também com as participações do prefeito de Ipaba, Geraldo Reis Neto, o prefeito de Entre Folhas, Ailton Silveira Dias, o ex prefeito de Inhapim, João Batista Marques, o vereador de Ipaba, Valter Inácio de Almeida, o vereador de Timóteo, Marcílio Magalhães, o diretor do SEDESE, Mauro Nunes e o deputado federal Mauro Lopes.  Para o prefeito de Ipaba, Geraldo Reis Neto, o momento é para que toda a população se una em prol de um só objetivo, o crescimento do município. “Não podemos apoiar pára-quedistas em nosso município, e sim pessoas que são de nossa região e trazem benefícios para nossa região. Temos vários projetos e investimentos em parceria com a deputada Rosângela Reis, e juntos vamos lutar pela revitalização da Lagoa da Prata, a construção de estádio municipal e a construção de uma capela”, afirmou. “Conseguimos vários benefícios para Ipaba. Benefícios como a pavimentação asfáltica, drenagem pluvial e recapeamento de várias ruas do município, assentamento de meio-feio e construção do canteiro central. Agora vamos lutar pela revitalização da Lagoa da Prata, um sonho antigo da população e também pela unificação das tarifas de transporte e telefonia com a da Região Metropolitana do Vale do Aço”, afirmou a deputada Rosângela Reis, que tem defendido a criação de um Banco de Empregos com cadastro regional em parceria com empresas e Ministério do Trabalho. “A qualificação é a garantia do emprego, e o emprego é a certeza de valorização, de mais dignidade para as pessoas e suas famílias”, concluiu Rosângela Reis.

Atropelado por ônibus


 Um acidente próximo à ponte metálica da BR-458, na saída de Ipatinga para Caratinga, tirou a vida do lavrador Adilson Cândido Pereira, de 30 anos, na noite desta terça-feira (14). Ele foi atropelado pelo ônibus placas GSV-2208, da empresa Univale, sofrendo morte imediata. Adilson era morador do Bairro Nossa Senhora da Graças, em Ipaba.

O coletivo era dirigido por Messias Martins dos Reis, 29. Ele relatou para a Polícia Militar Rodoviária que seguia em direção a Iapu, quando a vítima surgiu repentinamente no meio da rodovia. Messias ainda freou, mas não conseguiu evitar a colisão.

Segundo testemunhas, quando foi atropelado, Adilson – que era ajudante e deixou quatro filhos – aparentava estar embriagado. Ele, que tentou atravessar a rodovia sem observar corretamente o fluxo de veículos, bateu violentamente a cabeça contra o pára-brisa do ônibus.

14 de set de 2010

Ouvido na Delegacia Regional de Ipatinga, José Osmar foi autuado em flagrante e mandado ao Ceresp

IPABA/MG  – A noite desta segunda-feira (14) foi um das piores na vida de uma adolescente de 17 anos, moradora do Bairro São José, em Ipaba. Ela foi violentada sexualmente pelo ajudante de pedreiro José Osmar, 48, que é companheiro de sua avó. 
 Aterrorizada, a menor conseguiu escapar do abusador, refugiando-se na residência de uma vizinha. O acusado foi preso pela Polícia Militar e trazido para 1ª Delegacia Regional de Polícia Civil (1ª DRPC) de Ipatinga para prestar esclarecimentos.
Policiais militares encontraram a vítima chorando e com o “estado emocional bastante descontrolado”. De acordo com a garota, José Osmar lhe agarrou, mordeu seus seios e barriga, além de ter sussurrado diversas “palavras indecorosas”. A adolescente conseguiu se desvencilhar do homem, correr até a rua e pedir ajuda. Ela foi acolhida por uma dona-de-casa de 25 anos, sua vizinha.
De acordo com o que apurou a PM, José Osmar é amasiado com a avó da adolescente há 13 anos. A menor foi abusada quando estava sozinha com o homem na residência da família. Os policiais localizaram José Osmar rapidamente, logo depois de terem ouvido os relatos da vítima. Ele negou as acusações, mas, depois de prestar depoimento na 1ª DRPC, foi autuado em flagrante e encaminhado ao Centro de Remanejamento de Preso (Ceresp). A menina receberá acompanhamento psicológico.
Mudança
Desde o dia sete de agosto de 2009, está em vigor a lei de número 12.015, que mudou a redação de artigos do Código Penal, entre os quais o 213, que classifica o que é estupro. Pela legislação anterior, estupro era a violência sexual praticada contra uma mulher, mas apenas quando havia “conjunção carnal”. As outras formas de sexo forçado (como oral ou anal) e atos libidinosos – independentemente do sexo da vítima – entravam na classificação como atentado violento ao pudor. Agora, essas práticas passaram a ser consideradas estupros. Para configurar o crime, há a necessidade de o ato ter sido praticado “mediante violência ou grave ameaça”. Isso não mudou com a lei.

12 de set de 2010

O que é saber viver financeiramente?



Ganhar mais ou menos dinheiro não significa que alguém saiba ou não viver financeiramente. Qualquer que seja a quantia que se ganhe, o que importa, mesmo, é o quanto você gasta do seu dinheiro. Observe:

•    Quem ganha X e gasta X, vive em estado de alerta constante (torneira 1).
•    Quem ganha X e gasta menos do que X, vive bem financeiramente (torneira 2).
•    Quem ganha X e gasta mais do que X, vive em estado de estresse constante (torneira 3).

Essas três situações são básicas, qualquer que seja a quantidade de dinheiro de que você disponha para viver.
É certo que outras variáveis participam do processo e delimitam, em certo grau, um montante necessário para que você viva bem. Isso, porém, diz respeito a fatores racionais e emocionais que delimitam as nossas necessidades, e não é deles que estamos falando agora.
Também é certo que outras variáveis determinam a sua capacidade de ganhar dinheiro em maior ou menor quantidade, mas isso diz respeito a fatores operacionais e transpessoais envolvidos nas suas habilidades, e não estamos falando deles neste momento.
Por ora, estamos apenas montando o cenário. A seguir, abordaremos essas variáveis e suas interações, tanto para influenciar no tamanho das suas necessidades quanto no da sua riqueza.

Onde você está? — Determinando a sua posição financeira
Se você quer aprender a viver bem financeiramente, é importante saber qual é a sua posição financeira atual. De acordo com o seu desempenho financeiro, você pode estar em um dos quatro níveis a seguir:

1. Sobrevivência
Você ganha menos do que o necessário para sobreviver e, assim, vai acumulando dívidas e mantendo a cabeça fora da água. O seu dinheiro sempre acaba antes do fim do mês.

2. Trocando seis por meia dúzia
Você ganha o suficiente para fazer suprir suas necessidades, mas é incapaz de economizar. O seu dinheiro e o mês têm a mesma duração: acabou o mês, acabou o dinheiro.

3. Guardando debaixo do colchão
Você ganha o suficiente e consegue economizar. O que sobra do seu dinheiro você deixa em uma conta bancária, rendendo juros.
Talvez você não saiba que, se deixar dinheiro em uma conta bancária rendendo juros compostos de 6% ao ano, descontado o índice de inflação, levará doze anos para que ele dobre de valor. No entanto, se você usar o cheque especial a 18% ao mês, levará apenas quatro meses para que a sua dívida dobre de tamanho.
Se você colocar 100 dólares na sua conta e deixar rendendo juros, ao final de dez anos você terá dinheiro suficiente para comprar pneus para o seu carro. Porém, se ficar devendo 100 dólares para o banco durante os mesmos dez anos, no final estará devendo o correspondente ao valor de um carro novo.

4. Independência financeira
Você tem uma estrutura financeira sólida: do que você ganha, sobra para economizar. Você investe o que economiza e seus investimentos constituem uma fonte de renda suficiente e importante no seu orçamento.
Em qual dos quatro níveis financeiros você se encontra?
Lair Ribeiro

Voz do Povo

Compartilhe

Vídeos Ipaba

Loading...